Estreia da Turnê “Fogueira em Alto Mar”em BH aqueceu a noite da capital Mineira

Por Letícia Zveiter (Cantinho da Ana)

Um susto!

Assim começou o primeiro show da nova Tournée de Ana Carolina – Fogueira em Alto Mar – pouco após às 22h30 na casa de shows Km de Vantagens Hall em Belo Horizonte (MG).

O anúncio do início do show já havia terminado, as luzes estavam apagadas, a plateia ansiosa aguardava os primeiros acordes que vieram de repente, fortes e impactantes. Diferente do início de outras tournées, quando os instrumentos e músicos somavam-se aos poucos, entrando um a um no palco; ou com a subida dos acordes acontecendo aos poucos, a artista entrava por último… Dessa vez, ao abrirem as cortinas estavam os cinco no palco: Ana Carolina com sua guitarra, Leonardo Reais na bateria, Thiago Anthony nos teclados, Theo Silva na guitarra e Marcio Maia no baixo.

A plateia foi presenteada por um cenário luminoso ao fundo (que estava a cargo de Camila de Schimidt), projeções de belíssimos vídeos que ilustravam as canções (sob a competente criatividade e execução de Roger Velloso), e a artista principal trajando um conjunto preto repleto de pontos prateados e brilhantes – criado especialmente pelo estilista João Pimenta, e, como há mais de 10 anos, belissimamente penteada e maquiada  por sua fiel amiga e maquiadora Valéria Rodriguez.

Os primeiros acordes de “Namoradinha de um amigo meu” –  trazendo um arranjo carregado na bateria e guitarras – dava o tom do show que, além de baladas românticas já muito conhecidas do público da artista, também trouxe canções consagradas de outros compositores afirmando de vez o talento de Ana Carolina como grande intérprete da Música Brasileira, além de seu já conhecido talento como compositora e instrumentista. Não faltaram, como já era aguardado, as novas canções do EP recém lançado em todas as principais plataformas digitais, que teve como carro chefe “Não tem no mapa”, canção que, ao ser executada no palco projetava no cenário imagens do ousado e belíssimo clipe feito para a mesma que já contabiliza mais de 1 milhão e 400 mil visualizações no YouTube.

Muito bem pensado para trabalhar em conjunto, a mescla de canções do set list do show trouxe um roteiro muito bem sucedido dividido em grandes momentos:

Irreverente, rebelde e conquistador…

Namoradinha de um amigo meu (Roberto Carlos)

Agora só falta você (Rita Lee e Luis Sérgio Carlini)

Sinais de Fogo (Ana Carolina e Antonio Villeroy)

Dos amores impossíveis…

Não tem no mapa (single do novo EP, de Ana Carolina e Bruno Caliman)

Encostar na tua (Ana Carolina)

Da introspecção reflexiva…

Canção Antiga  (do novo EP, de Ana Carolina e Antonio Villeroy) essa canção vale uma observação especial por sua belíssima letra, o arranjo delicado preparado por Ana Carolina, Alê Siqueira, André Magalhães, Thiago Anthony e Danilo Andrade, e o poema em francês de Antonio Villeroy narrado pelo próprio ao final da canção. Lindíssimo!

“Un parfum
Une chanson d’amour
Des yeux que se croisent avec les notres dans rue

Et on oblie par instants
La solitude dans lequel
On a eté plongé

C’est la vie que danse
E que nous fait danser”

Antonio Villeroy

Pra Rua me levar (Ana Carolina e Antonio Villeroy) Cantada por absolutamente toda a plateia e aplaudidíssima ao final! Difícil saber nessa hora quem deu o show mais bonito: a artista ou seu público.

Do amor em todas as suas formas…

Toda forma de amor (Lulu Santos) que apresentou um solo de guitarra maravilhoso de Theo Silva! Que guitarrista!!!

Rosas (Antonio Villeroy) Belo momento em que a artista levantou a bandeira de um de seus grandes fã-clubes, o maior de Minas Gerais, Rosas D’Ana.

Dos grandes e inesquecíveis sucessos do público…

Quem de nós dois (La mia storia tra le dita – Gianluca Grignani e Massima Luca / versão em Português – Ana Carolina e Dudu Falcão) Segundo grande momento da consagrada canção na carreira de Ana Carolina em que o público inteiro cantou em alto e bom som.

Canções e Medley com Violões (Ana Carolina, Leonardo Reis, Theo Silva e Marcio Maia em um quarteto avassalador)

– Meu Bem Querer (Djavan)

– A canção tocou na hora errada (Ana Carolina)

– Vai (Simone Saback)

– Nada pra mim (João Ulhoa)

– Uma louca tempestade (Antonio Villeroy e Bebeto Alves)

Do retorno do falar poesia… Da dor do amor perdido…

“Eu sei e você sabe já que a vida quis assim
Que nada nesse mundo levará você de mim
Eu sei e você sabe que a distância não existe
Que todo grande amor só é bem grande se for triste

Por isso, meu amor não tenha medo de sofrer
Que todos os caminhos me encaminham pra você
Assim como o oceano só é belo com luar
Assim como a canção só tem razão se se cantar

Assim como uma nuvem só acontece se chover
Assim como o poeta só é grande se sofrer
Assim como viver sem ter amor não é viver
Não há você sem mim e eu não existo sem você”

Antônio Carlos Jobim

Eu no Breu Versão em Português de “Back to Black” (Amy Whinehouse) de Péricles Cavalcanti. (transcrição “de ouvido” do áudio do show por Letícia Zveiter)

“Foi seu tempo pra se arrepender
Que não se trata do prazer
Pra aquela velha aposta
Eu e minha cabecinha louca

E minha choradeira tosca
Seguimos noutra porta
Você voltou pra quem já lhe amou
Depois de tudo que passou

Comigo em nosso céu
Eu que saio pelas vias tortas
Onde as flores nascem mortas
Eu vou voltar pro breu

Refrão

Nós só dissemos tchau sem mais
Eu já morri demais
Você voltou pra ele e eu vou voltar pra nós
Eu te amo tanto

Mas, sei que no entanto
As drogas são o seu amor
A vida se parece com o cano
Por onde entrei rolando

Tal qual moeda sem valor

Refrão

E eu vou voltar pro breu
Breu
Breu
Breu

Só eu e o breu
Só eu e o breu
Só eu e o breu

Refrão”

Fogueira em Alto Mar (do novo EP, de Ana Carolina, Zé Manoel e Bruno Caliman)

Fogueira (Ângela Ro Ro) Belíssima letra que complementa em perfeição a nova composição do EP de Ana Carolina. Vale a pena reproduzir aqui:

“Porque queimar minha fogueira
E destruir a companheira
Porque sangrar o meu
Amor assim?

Não penses ter a vida inteira
Para esconder teu coração
Mais breve que o tempo passa
Vem num galope meu perdão

Deixa eu cantar
Aquela velha história, amor
Deixa eu penar
A liberdade está na dor

Porque temer a tua fêmea
Se a possuis como ninguém
A cada bem do mal do amor
Em mim?

Não penses ter a vida inteira
Para roubar meu coração
Pois cada vez é a primeira
Do teu também, serás ladrão

Deixa eu cantar
Aquela velha história, amor
Deixa eu penar
A liberdade está na dor

Eu vivo a vida, a vida inteira
A descobrir o que é o amor
Leve pulsar do sol a me queimar

Não penso ter a vida inteira
Para guiar meu coração
Eu sei que a vida é passageira
Mas o amor que eu tenho, não

Quero ofertar
A minha outra face à dor
Deixa eu sonhar
Com a tua outra face, amor”

Eu que não sei quase nada do mar (Ana Carolina e Jorge Vercilo) em versão caliente num misto entre o arranjo feito para o álbum Dois Quartos da artista e o feito para a versão cantada por Bethânia. Um deleite!

Do samba que nunca pode faltar…

Da Vila Vintém ao Fim do Mundo (uma homenagem à Elza Soares no novo EP – de Ana Carolina e Zé Manoel)

Mulheres (Toninho Geraes)

1296 Mulheres (Moreira da Silva e Zé Trindade)

Cabide (Ana Carolina)

Batalha de Pandeiros (maravilhosamente orquestrada por nosso queridíssimo Leonardo Reis, executado com louvor pelos mais novos músicos de cordas do mercado que tiveram que aprender pandeiro por trabalhar na banda com Ana Carolina!)

E o Gran Finale!!!

Garganta (precisa citar o compositor? Se não sabe quem é, não sabe nada de Ana Carolina! Fica como dever de casa a pesquisa)

Brasil (George Israel, Nilo Romero e Cazuza)

Pensa que acabou?

É isso aí (The Blower´s Daughter de Damien Rice / versão em português de Ana Carolina e Seu Jorge)

Elevador (Ana Carolina) Porque se essas canções faltarem não é um show da Ana Carolina, basicamente. Acabar o show sem pular é uma quebra de ritual impossível!

Uma hora e meia de um espetáculo que precisa ser visto, sentido, cantado! E que promete alterações ao longo de seu percurso em tournée , pois em 28 de junho seremos brindados com mais um EP de 3 canções e em 26 de julho as 3 últimas.

 

Portanto, preparemos os corações, porque talvez um único show não seja o suficiente para conhecer o que essa artista singular e sua nova equipe de trabalho excelente estão preparando por aí!

Compartilhe:

There are 2 comments on Estreia da Turnê “Fogueira em Alto Mar”em BH aqueceu a noite da capital Mineira

Comente

Desenvolvido por Cantinho da Ana - 2007 a 2019